A cura de Gabrielle Collins em Medjugorje

A cura de Gabrielle Collins em Medjugorje

gabriellecollinsSão muitas as experiências que acontecem com os peregrinos, sendo que a maioria deles fica desconhecida do público. Mas também é verdade que a cada dia encontramos pessoas que testemunham publicamente as graças particulares recebidas pela intercessão de Nossa Senhora. Este também é o caso da irlandesa Gabrielle Colins. Como ela mesmo nos contou, veio a Medjugorje a primeira vez acompanhando a sua irmã:

“Tive educação católica, mas por um tempo deixei de ir à igreja. Logo tive um ataque súbito do coração e tive de parar de trabalhar, motivo pelo qual eu passava a maior parte do tempo em casa. Minha irmã já tinha vindo a Medjugorje algumas vezese me propõs de ir com ela quando fosse novamente. Assim que cheguei aqui, foi tudo de fato muito belo, mas não pensei que desejaria voltar aqui novamente. Todavia em fevereiro do ano seguinte eu estava aqui novamente. Aqui se prova um sentimento de paz total que a Mãe nos dá.”

Gabrielle nos contou que estava muito doente e que ia muitas vezes em hospitais:

“Duas semanas antes da festa do aniversário das aparições, tinha o desejo de vir aqui, repetiu-se a mesma coisa. Fiz exames que constataram que a artéria principal, que do coração vai até o cérebro, estava obstruída em 70%. Me disseram que a operação em si era simples, mas que no meu caso não existiam muitas esperanças. Se eu não tivesse concordado com a operação, a morte seria apenas uma questão de tempo. Os médicos me aconselharam a chamar a minha família, de modo que eles pudessem esclarecer aos meus parentes o estado das coisas e me disseram que eu deveria ser submetida à operação imediatamente. Eu decidi vir primeiro a Medjugorje e depois comunicar o meu estado de saúde aos meus parentes, para depois submeter-me à operação. Pensava que aquela seria a minha última semana de vida e pensava em como eu deveria enfrentar esta situação logo que retornasse a minha casa.

Chegando aqui em Medjugorje eu provei uma paz total, sem nenhuma sombra de preocupação. Uma tarde eu estava rezando em frente da igreja com a minha irmã. Ela rezava enquanto eu estava relaxada, alegrando-me com o sol e com a paz. Estava sentada quando depois de algum tempo comecei a sentir gotas de chuva que caiam em cima de mim. Chamei a minha irmã e lhe perguntei o que estaria acontecendo no momento em que a chuva caia sobre mim. Ela me respondeu calmamente que era uma benção.

Não falamos mais sobre isto. Voltamos para casa e eu estava bastante tranquila. Voltei ao meu médico, que marcou a cirurgia. Pedi a ele que fizesse outro exame, mesmo que ele me dissesse que não era necessário que já tínhamos feito todos os exames antes e que estava tudo pronto. Ele ficou com raiva e não queria ceder, mas no fim, contra a sua vontade, marcou outro exame.

Quando ele recebeu o resultado não podia acreditar: a obstrução não existia mais ! Perguntou-me o que tinha acontecido, o que eu tinha feito e onde eu tinha estado. Somente lhe disse que tinha ido a Medjugorje e ele me disse que este tinha sido o único caso na história daquele hospital.

A partir daquele momento tudo mudou em minha vida. Sinto a cada momento o grande amor de Deus e uma alegria que desejo compartilhar com todos.”

Matéria original no site da paróquia de Medjugorje: http://www.medjugorje.hr/it/attualita/gabrielle-colins-testimonia-la-sua-esperienza-di-medjugorje,7047.html